Mostrar mensagens com a etiqueta Mãe de Primeira Viagem. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Mãe de Primeira Viagem. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Quase mãe de dois meninos! Novidades :)

Olá mamãs!

Antes de mais tenho de pedir desculpa por esta minha tão prolongada ausência na blogosfera. Nem vou alegar que a razão se deve a muito trabalho, embora isso tenha constituído parte da razão.  A outra parte e que, aposto vos interessará mais, é que... estou em contagem decrescente para a chegada do reguila nº 2!!

Pois é, andei entretida :)

No início de Dezembro, o Henrique vai ganhar um mano :) Se não houver mudanças de última, o novo piolho vai chamar-se Gabriel.


mãe de dois, transição, aprendendo a ser mamã, dores na gravidez


E, como devem calcular, coisas não faltam para para atualizar aqui no blog!!
Por agora, ainda estamos na fase dos preparativos: quartinho do bebecas, enxoval, comprinhas, escolha do carrinho, preparação da mala da maternidade e coisas fofas do género. Tenho muito para vos contar, eu sei :)

No geral, esta segunda gravidez tem corrido bem. Contudo, tenho tido muitas mais dores e andando muito mais cansada do que na primeira. Houve algumas coisas que tive mesmo de parar de fazer por recomendação da obstetra, como limpar a casa (principalmente andar com o aspirador), evitar pegar no reguila nº1 ao colo e 'esforços' do género. 

Parece ridículo, eu sei. Acreditem que tem sido um desafio, porque eu não paro quieta... Mas a barriga está muito descaída desde o início da gravidez e o colo do útero não muito resistente, por isso, repouso tem sido a prioridade número 1.

Uma das coisas que decidimos foi encontrar alguém para dar uma ajuda nas tarefas domésticas. Sim, porque se não podia aspirar, nem dobrar-me, com um pequenote de 4 anos e uma cadela cá por casa aos saltos, isto ia descambar rapidamente :)

Como não tinha referências de ninguém na minha zona e tinha que começar por algum lado, acabei por pesquisar online. Usei o site da StarOfService, que já tinha usado anteriormente para procurar outros serviços e pedi orçamentos para limpezas domésticas. Fiquei com a questão resolvida em dois tempos! Recebi vários orçamentos e contactos e optei por aquele que me pareceu ir mais ao encontro do que eu queria, e a um preço bastante acessível.

A senhora que cá vem a casa, há já quase 3 meses, é super simpática e trabalha muito bem, não tenho nada a apontar.
Passa a roupa a ferro e limpa a casa. Vem cá a casa uma vez por semana. E é tão querida que traz sempre um chupa-chupa para o pequenote.

Escusado será dizer que ele adora o dia das limpezas :) Deixa os brinquedos todos no sítio na noite anterior, para "ajudar a senhora", diz ele. Claro que o que ele quer é o chupa-chupa :) :)

Ainda assim, e mesmo com esta ajuda nas limpezas e na roupa, continuo a ter imensas dores e tenho que ter cuidado no dia-a-dia. 

Há dias em que andar do quarto para a cozinha é um desafio. Não estou a exagerar, mamãs... Outros dias estou melhor e vou levar o pequenote a pé até à escola e buscá-lo. Claro que, às 19h da noite já só estou bem deitada...

Falta pouquinho e vale tudo a pena. Só custa um bocadinho... mas as mamãs já estão habituadas a coisas destas, não é?

Ainda não tenho bem noção da reviravolta que vai ser cá em casa com dois pequenotes a precisar da mamã e do papá... De certeza que vai ser uma experiência interessante :)

Há por aí mamãs que já tenham a experiência de passar de 1 para 2 filhotes?

Como correu? Alguma dica?

segunda-feira, 28 de março de 2016

10 Coisas que me podiam ter dito antes de ser Mãe


1. 90% DOS CONSELHOS QUE VAIS OUVIR, IGNORA. Quem sabe o que é melhor para os nossos bebés, somos nós. Não é a amiga que já tem 3 filhos, nem a tia com o bebé de 18 meses, nem a avó ou a sogra, que têm imensa experiência. Toda a mamã pela primeira vez, está a aprender e tem esse direito. É bom ter alguém a quem pedir conselhos, claro. Mas quem decide o que fazer e como fazer, somos NÓS, conforme o que acharmos melhor. Vai haver SEMPRE alguém que vai criticar e dizer que não devia ser feito desta ou daquela forma. Mas, repito, quem sabe o que é melhor para os nossos bebés, somos nós.

2. 99% DAS VEZES QUE PROCURARES SINTOMAS de alguma coisa que o bebé tenha na internet, vais ficar à beira de um ATAQUE DE PÂNICO. Foge do Google! É mais do que normal, preocuparmo-nos com os nossos rebentos e querermos saber TUDO sobre como cuidar do bebé. Mas, acreditem, procurar na internet vai stressar-nos muito mais, do que o que vai ajudar. Aprendi isto, depois de 50 mega pânicos, sem qualquer necessidade. Vale bem mais ligar para a Saúde 24 ou para um Pediatra.

3. CRIA UM HORÁRIO e uma rotina. Quanto mais cedo, melhor. Bom para nós, mamãs e papás, e bom para os pequenotes, que começam a ter a segurança de saber como tudo se passa com eles e como funciona o novo mundo a que chegaram: a casa dos papás. Além de que vai facilitar imenso também a criar a rotina do sono.

4. SER MÃE É DIFÍCIL. Se ninguém te disse isto ainda, acredita, porque é a mais pura das verdades. Vão existir momentos em que a paciência desaparece, em que o cansaço é imenso, em que precisas de parar e respirar por 5 minutos... apenas para conseguir ganhar fôlego. Se puderes, pára mesmo. Abre a janela, olha para o céu e respira fundo. Se puderes, dorme 20 minutos, enquanto o pequeno dorme também. Há dias em isto vai fazer TODA A DIFERENÇA.

5. PREPARA-TE PARA O INESPERADO, porque vai acontecer qualquer coisa com a qual não contavas. É mesmo assim. Tudo pronto para sair e eis que surge um mega cocó! Vá de trocar a roupinha toda. Vão de férias e o pequeno adoece e nem sais do Hotel (já aconteceu aqui em casa...). Uma ocasião especial, todos com roupa bonita e, em menos de 5 minutos, o pequeno bolsa ou vomita e tu e o papá ficam com roupa típica de pais: cheia de manchas, nódoas, pintas e cheiro a toalhitas (porque tentamos sempre limpar a coisa...) Bem-vindos ao clube! :) 

6. CRIA ESPAÇO PARA O BEBÉ. São coisinhas fofas e lindas, em tamanho miniatura, certo? Pois, mas vais ver que, num instante, vai haver lá por casa imensa tralha: berço, banheira, muda-fraldas, roupinhas, cadeiras de papa, carrinho, ovo, brinquedos, espreguiçadeiras, parque... e afins. Não vale a pena comprarmos tudo, eu não comprei e muita coisa não fez falta nenhuma, muito sinceramente. Mas há que pensar sempre que um bebé é pequenino, mas precisa de algum espaço, ou de um quartinho seu.  

7. GUARDA MEMÓRIAS. MUITAS! O tempo vai voar. Quando deres conta, o bebé tem 1 ano, 2 anos. Fala contigo e acha que sabe coisas :) Vai ser nessa altura que vais perceber como tudo passou depressa demais e vais questionar-te se aproveitaste mesmo tudo, ou se estavas demasiado preocupada em chegar à etapa seguinte, ao primeiro dente, à primeira palavra, ao primeiro passo... Aproveita cada fase, cada mês. Guarda memórias, uma roupinha especial, o primeiro brinquedo... E tira todas as fotografias que conseguires. No momento em que parecer que não aproveitaste, e que o tempo passou sem dares conta, podes olhar para tudo o que guardaste e saberás que viveste cada momento, que estiveste lá, SEMPRE. Só o tempo é que voou mesmo...

8. SÊ GRATA POR SERES MÃE. As birras, os gritos, os medos, os dramas, as noites acordada, o cansaço, os cocós, as febres, as ansiedades, a preocupação... vão valer a pena. Cada minuto da tua vida, depois de seres mãe, vai ser um desafio, uma aventura, mas não haverá nunca na tua vida nada que se compare, nem nada que seja melhor. Vai ser a maior e melhor aprendizagem que alguma vez farás!

9. NÃO TE MARTIRIZES. Há dias em que tudo corre bem e sentes que consegues dar conta do recado. Há dias em que te sentes a pior mãe do mundo. Mas, fica a saber que ÉS A MELHOR MÃE que o teu pequeno podia ter SEMPRE. A casa está de pernas para o ar. Andas despenteada e sem unhas arranjadas. E daí? Ser mãe, muda muita coisa. Vais sentir todas as emoções que existem à face da terra, as boas e as menos boas. Em alguns momentos, provavelmente, vais desesperar. É normal. No início, é muito complicado para TODAS nós, ainda que algumas mães teimem em dizer que não é. Aos poucos, as coisas vão melhorar. Vamos aprendendo a ser mamãs! 

10. HÁ UMA COISA PARA A QUAL NÃO TE PODES PREPARAR NUNCA. E que nunca saberás como é antes de experimentares e de viveres por ti mesma: o amor de mãe. Só depois de seres mãe vais perceber como é amar alguém mais do que julgas ser possível e sentir que farás o impossível para proteger esse alguém. Por mais que tenhas amado alguém antes, acredita, nunca amaste verdadeiramente, não desta forma, não como mãe. É um amor único e sem igual.

Ser mãe foi a melhor coisa que fiz em toda a minha vida! Não consigo hoje imaginar-me de outra forma.
É difícil, exige muito de nós, muda muita coisa. Mas foi a melhor decisão que alguma vez tomei :) Eu e o papá, claro ;)



terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Coisas que não se devem dizer a uma mãe

coisas que não se devem dizer a uma mãe


Se houver por aí alguma mamã que nunca tenha recebido 'dicas' e conselhos' sem serem solicitados, ou que nunca tenha ouvido uma daquelas respostas irritantes, que levante o braço.

Há momentos em que, sinceramente, me arrependo de responder a certas perguntas daquelas mamãs que têm sempre a melhor resposta para todas as situações... Haja paciência...

Partilho um texto convosco que achei delicioso, pela ironia, e por ser elucidativo daquelas situações que tiram a paciência a qualquer mãe, ou pelo menos, que corroem a minha...



                                               ***    

-Como foi o seu parto? Cesariana? Hum... Eu tive 650 partos normais.

-Como foi seu parto? Normal?! E o teu marido deixou? Isso é coisa de índio!

-Quanto tempo mamou? 6 meses!? Hum, os meus mamaram até 15 anos.

-Ele mama até hoje? Não acredito! Isso vai fazer-lhe mal, vai ficar traumatizado!

-Quanto é que pesa? 4kg? Só? O meu nessa idade pesava 8kg!

-Ela dorme a noite inteira? Não?! Não acredito? O meu já nasceu a dormir a noite toda.

-Quantas vezes ele acorda à noite? Só duas? Agradece! O meu acorda 12346648 vezes!

-Ela dorme no colo até hoje? Os meus iam para cama sozinhos com 8 meses!

-Já anda? A minha com essa idade já pulavas muros!

-Come bem? Não? Isso é falta de pulso, o meu sempre comeu bem.

-E a festinha de 1 ano? Não vai fazer? Não acredito!! Vais-te arrepender!

-E a festinha de 1 ano? Vais gastar isso tudo?! Que desperdício, nem vai aproveitar, festa de um ano é para os pais...

-Quantos dentinhos? Nenhum até hoje? Isso não deve ser normal. Eu já tinha ido ao Pediatra.

-Quando começou a falar? Ainda não fala? É melhor ires ao Pediatra porque não é normal de certeza.

-Ele não está muito gordinho, não? O meu nessa idade não era assim

-Ela não está muito magra, não está? A minha nessa idade não era assim!

-Vais trabalhar já, com ele tão pequeno? Devias ficar em casa até pelo menos ele ter 2 anos.

-Vais ficar mais tempo com ele em casa, sem trabalhar? Mas o que é que ficas a fazer o dia inteiro, não estás farta?

-Ele não se parece NADA com o pai. Que estranho...

-Só um filho? Vai ficar mimado.

-Só menina? Não vai tentar um menino, o pai precisa disso...

-Três filhos?! Que coragem!!

-Quatro filhos? Não têm televisão em casa vocês?!

-Têm uma ama em casa? Pois... assim é fácil ter filhos...


Desista, você nunca conseguirá agradar! Mas no final das contas, a opinião dos outros não faz a menor diferença nas suas escolhas.


(Adaptado a partir de: Mamãe duas vezes).

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

1º Encontro da Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto

encontro nascer em amor aprendendo a ser mama associação portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto


Hoje partilho convosco uma informação sobre um evento que será de muita relevância principalmente para nós mamãs, ou futuras mamãs :) o 1º Encontro da Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto, que terá lugar em Cascais a 30 de Janeiro de 2016.

Deixo-vos abaixo todas as informações sobre inscrições, programa e afins.


Nascer em Amor |1º Encontro da Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto
30 Janeiro | Centro Cultural de Cascais

A Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto (APDMGP) promove, a 30 de Janeiro de 2016, o seu primeiro encontro. O evento realiza-se no auditório do Centro Cultural de Cascais (Fundação Dom Luís I), com o apoio da Câmara Municipal de Cascais. Informação, partilha e inspiração, num dia que pretende congregar todos os interessados nas questões da gravidez e nascimento em Portugal, sejam famílias, profissionais ou representantes de organizações da sociedade civil.

PROGRAMA
9h30 Receção
10h00 Abertura
10h15 Quebrando o gelo: atividade (ainda) surpresa
10h30 Como se nasce em Portugal? Apresentação dos resultados do inquérito “Experiências de Parto em Portugal” Marta Gabriela Oliveira, APDMGP
11h15 Coffee Break
11h45 O pai – a dança do masculino e do feminino no parto* Mark Harris, Birthing Awareness
12h30 Almoço livre
14h00 O ponto de vista do bebé: A viagem essencial – 18 meses juntos Fátima Marques, APDMGP
14h45 Quando a gravidez termina num colo vazio Sandra Cunha, Associação Projeto Artémis
15h30 Nascer na água? Inês Anjo, Mães d’Água – Parto na Água em Portugal
16h15 Debate Como queremos que se nasça em Portugal?
Moderado por Sara do Vale, ADPMGP. Participantes já confirmados: Patrícia Capela, Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstétrica e Ana Raposeira, Presidente da Associação Doulas de Portugal. Em fase de confirmação: médico/a obstetra e representante de organização da sociedade civil.
17h00 Encerramento
17h15 Coffee Break
17h30 Workshop O Parto, para Gajos* Mark Harris, Birthing Awareness (duração aproximada de 1h30m)
* Em inglês, com tradução para quem necessitar

Informações e inscrições 
https://nasceremamor.wordpress.com/ 
Condições especiais para sócios da APDMGP e para profissionais

Sobre o promotor 
A Associação Portuguesa pelos Direitos da Mulher na Gravidez e Parto é uma associação sem fins lucrativos, fundada em Dezembro de 2014. Constitui-se como plataforma de diálogo e cooperação entre profissionais de saúde, terapeutas, doulas e famílias, com base na defesa dos direitos humanos na gravidez e parto. 
http://www.associacaogravidezeparto.pt

Assessoria de imprensa
Isabel Valente Comunicação | nasceremamor@associacaogravidezeparto.pt | 968923157

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Antes e depois e ser mãe

aprendendo a ser mamã antes e depois de ser mãe






















Diferenças de antes e depois de ser mãe... Muda mesmo muita coisa... Eu, sinceramente, acho que muda para melhor, porque nunca mais vemos o mundo da mesma forma... 

Mesmo quando acontecem as 'coisinhas' descritas no cartoon da Sara-a-dias que partilho convosco hoje, para mim, o 'depois de ser mãe' é muuuuito melhor do que o 'antes de ser mãe'... É uma espécie de 'upgrade', hoje sou a Ana v2.0 ;)

Nem tudo são rosas, claro. O pequenote tem 2 aninhos e continua a haver dias bem complicados, tramados mesmo. Faz parte de ser mãe e não há grande volta a dar. É respirar fundo e gerir o caos e o drama da melhor forma que soubermos ou que conseguirmos... Acho eu...

Acima de tudo, o que muda mesmo, e definitivamente, são as nossas prioridades! O meu piolho é o mais importante do mundo e ponto final.





quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Cãozinho verde da mamã ganhou nome 25 anos depois...

bebé brinquedos tecido peluche aprendendo a ser mamã

Olá mamãs!

Hoje partilho com vocês um daqueles momentos 'ooohhh' que me fazem derreter o coração... Passou-se ontem à noite cá em casa...

Depois da rotina da hora da caminha (que inclui: beber leitinho, dar beijocas ao papá e à mamã, fazer um xixi muito grande, escovar os dentinhos e vestir o pijaminha), o pequeno quis abrir sozinho a cama dele e posicionar os "bonequinhos do óó" (que é como ele chama ao Mickey, Panda e cãozinho, que 'dormem' com ele), da forma que mais lhe agradava.

-"Mãe, olha, o Mickey Mouse fica qui [aqui]. Mãe , olha o Panda fica pé do Mickey Mouse, assim fica contente, não chora. Não tem medo do cuio [escuro]."

Eu disse: 'Está bem. Podem ficar assim. Mas falta um, não é? Onde é que fica o teu ão ão?'

-"Não, mãe, não é ão ão. Chama Pluto. É ão ão do Mickey, sabes mãe? Faz óó ao pé do Mickey e assim fica contente e não chora como Panda."

10 segundos depois, processei a coisa e perguntei: "Chama-se Pluto, é? Foi o pai que te disse o nome dele?"

-Não, pai não disse. Mas é Pluto, mãe. Igual aos conecos da tevisão Mickey Mouse [bonecos da televisão]. Sabes mãe? Chama Pluto. É migo do Mickey. [amigo]". 

E pronto, foi assim que o meu cão verde de tecido, que ganhei quando fiz 6 anos... ou seja... há 25 anos atrás (!!! estou a ficar velha!!!), ganhou pela primeira vez um nome. Chama-se Pluto e é o amigo do Mickey. 

O incrível é que sempre adorei este cão :)
Já o tentei cozer e arranjar, várias vezes, ao longo dos anos (a falta de jeitinho para a costura é notória nas fotos...). 

O pai levou o cãozinho para a maternidade quando o piolho nasceu, para fazer companhia ao nosso menino no berço...
É um cão que "está na família" há anos... e, não sei porquê, nunca lhe tinha dado um nome...

Mas, ontem, a 20 de Outubro de 2015, foi baptizado! Chama-se Pluto e é o amigo do Mickey.


:)

domingo, 18 de outubro de 2015

9 meses à espera do bebé | Mudanças durante a gravidez através de cartoons

Olá Mamãs!

Quem por aí está no 1º mês de gravidez? E no 2º? Ou no último mês?
Cada nova fase tem novidades! São 9 meses repletos de descobertas, mudanças, alterações, ansiedades...

Hoje dói aqui. Ontem tínhamos comichão ali.
Hoje adoro de atum. Ontem odiava atum.
Hoje temos uma barriga enoooorme! Ontem estávamos deprimidas porque mal se notava que estavamos grávidas :)
Hoje estamos stressadas porque nunca mais chega a data da nova ecografia e exames. Ontem estávamos stressadas porque íamos fazer a nova ecografia e exames :)
Hoje sentimos o bebé e levamos valentes pontapés. Ontem ele estava muito sossegadinho...
Hoje nem nos conseguimos mexer, cheias de sono... Ontem tínhamos energia aos molhos, arrumámos a casa toda!
Hoje temos azia. Ontem a fome era insaciável, comíamos, comíamos e continuávamos sempre com fome :)
Hoje sorrimos por tudo e por nada. Ontem até o anúncio da Dodot nos fazia chorar.
Hoje não queremos dormir com almofadas. Ontem não conseguimos dormir NADA, nem com 1001 almofadas à nossa volta...

Foi assim só comigo??
Acho que não :) Acho que há mais mamãs por aí a 'padecer dos mesmos males' :)

Partilho convosco uma série de cartoons da Teresa Serrano que encontrei no blogue dela e que achei deliciosos :)

Acho mesmo que retratam na perfeição as delícias e angústias das mamãs grávidas.
Concordam, mamãs? :)

mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã



mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã
mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã



mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã

mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã


mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã

mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã
mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã
mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã
mês de gravidez gestação aprendendo a ser mamã

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Série ENXOVAL DO BEBÉ | Parte 4 | Alimentação e Transporte do Bebé e essenciais para a Mamã

enxoval do bebé aprendendo a ser mamã

Olá Mamãs!

Este é o último post da série Enxoval do Bebé. Hoje escrevo sobre o que vale a penas comprar para a alimentação e transporte do bebé e quais os produtos que considerei essenciais para a mamã e que eu usei.

Podem ler as partes 1, 2 e 3 da série AQUI, AQUI e AQUI.


ALIMENTAÇÃO DO BEBÉ
Para os bebés que mamarem em exclusivo, não há grande coisa a listar aqui...

No meu caso, como tive mastite e, por consequência, redução do leite, foi necessário dar suplemento em paralelo com o leite materno. Por isso, comprei:
- 2 biberões pequenos. Usei da Chicco.
- 1 escovilhão para higienização do biberão e tetinas
- Esterilizador de biberões/chupetas. Eu não comprei, esterilizei sempre tudo numa panela com água a ferver.

Na altura das primeiras papas, sopas e frutinhas (que aqui por casa começou aos 4 meses), dá jeito:
- Pratinhos e talheres de bebé. Comprei no IKEA. (Aconselho a comprar uma colher de silicone porque é muito mais macia e não magoa as gengivas do bebé. Usei colher de silicone desde os 4 meses até aos 15 meses, altura em que já havia muitos dentinhos e achei boa ideia trocar para outro tipo de material, usei primeiro plástico rígido, depois inox, sempre em tamanho para bebé/criança).
- Cadeira para papa. Optei por um modelo da Chicco.  
- 1 Biberão para água
- 4-6 Babetes impermeáveis ou 2 babetes de silicone com retenção em baixo. Há na Wells.

TRANSPORTAR O BEBÉ
- Optei por um trio da Chicco. Usei o ovo (no automóvel e para passear no carrinho) e a alcofa (apenas para algumas viagens de Lisboa para o Algarve, porque achei que ele viajava melhor deitado na alcofa do que no ovo... Mas se não fosse por essa razão, acho que não valeria a pena ter o trio Chicco com a alcofa, porque fora isso não a usei).
- Usei um Marsúpio da Chicco. Há que use sling, sou sincera nunca experimentei, mas tenho curiosidade... O propósito é o mesmo, penso eu. E a mim, o marsúpio deu imenso jeito nas saídas mais rápidas em que tinha algum recado para fazer e precisa de ter as mãos livres :)
- Tapa-sol para o vidro do automóvel. Eu, sinceramente, cheguei à conclusão de que usar uma fralda no vidro fazia 'mais sombra' do que o tapa-sol...

ESSENCIAIS PARA A MAMÃ

Além de roupas práticas para a amamentação (com botões no peito, por exemplo), deixo abaixo a lista do que aconselho comprar:
- Discos absorventes. Usei descartáveis porque achei mais prático, mas também há reutilizáveis.
- Soutiens de amamentação. Dão imenso jeito. Acho que uns 4 são suficientes (2 brancos e 2 pretos, por exemplo).
- Pomada protectora e cicatrizante para os mamilos. Usei da Medela.
-Cinta-elástico pós-parto. Eu usei durante uns 15 dias depois do piolho nascer e ajuda bastante para a barriga "ir ao lugar" e sarar bem. Aconselho mesmo. No meu caso, como foi cesariana, ajudou imenso!
- Almofada de amamentação. A mim facilitou-me imenso na postura para amamentar. Deitava o pequeno em cima da almofada todo aconchegadinho a mim e lá estávamos os dois no nosso tempinho mamã-bebé a beber o leitinho da mamã.
- Mamilos de silicone. Usei da Medela e aconselho no caso de mamãs com mamilo pequeno, invertido ou muito dorido. Não fazia ideia de que isto existia, mas foi uma maravilha!! Depois de uma mastite, foi a solução ideal para o pequenote conseguir finalmente mamar o leitinho da mamã.
- Para quem tiver muito leite e quiser 'congelar' talvez seja útil comprar uma bomba. Usei uma da Medela, eléctrica, e gostei. Usei para tentar estimular mais a produção de leite... Acho que não vale a pena comprar antes do bebé nascer. É um produto que se pode bem comprar depois, e apenas se se optar por usar...
-Creme para estrias. Usei da Mustela.


Fonte das imagens:
www.maemequer.pt
www.bolsademulher.com
www.bestdoctorsblog.com

sábado, 10 de outubro de 2015

Série ENXOVAL DO BEBÉ | Parte 3 | Essenciais para o Quarto do Bebé

aprendendo a ser mamã enxoval do bebé

Olá Mamãs!

Hoje partilho convosco a 3ª parte da série Enxoval do Bebé, dedicada aos produtos essenciais para o quartinho do bebé.

Podem consultar as partes 1 e 2 da série AQUI e AQUI.

QUARTO DO BEBÉ

- Berço de grades. Usei a partir dos 4 meses, até aí o bebé dormia numa alcofa tipo Moisés da Zippy, no nosso quarto, ao lado da nossa cama. Facilitou-me fazer assim na fase inicial em que o pequeno acordava de 2 em 2 horas ou de 3 em 3 horas para mamar durante a noite.
- Protector de berço. Para evitar cabeçadas, ou que as mãozinhas ou pézinhos do bebé se enfiem nas grades. Comprei no IKEA.
- 4 conjuntos de lençóis (2 frescos, 2 quentinhos)
- 2 ou 3 mantinhas (depende da estação do ano). Aconselho optar por algodão, ou se se quiser comprar mantinhas de lã, colocar-se dentro de uma capa de edredão (como as que se vendem no IKEA). Digo isto porque o meu pequeno foi sempre muito sensível a coisas de lã...
- Mosquiteiro. Comprei um do IKEA, dá imenso jeito no tempo quente para evitar picadas de mosquitos.
- Muda fraldas. Para mim foi super útil, porque mudar fraldas e vestir roupinhas 15 mil vezes por dia destrói as costas, acreditem. E o muda fralda tem a altura ideal para facilitar a tarefa. Comprei um simples, branco, no IKEA.
- Balde para fraldas. Essencial ter um junto ao trocador! Mudamos imensas fraldas por dia. Eu comprei um balde Sangenic da Tommee Tippee (falo dele AQUI!) e recomendo imenso, porque é prático, permite acumular imensas fraldas, sem a necessidade de vazar diariamente, e não deixa passar cheiros.
- Intercomunicadores. Dá jeito e tranquiliza imenso!! Eu só comprei aos 4 meses do pequeno, quando ele 'migrou' para o quartinho dele, porque assim conseguia ouvir cada barulhinho e perceber se estava a respirar. Não usei intercomunicador com câmara, apenas com som, porque se houvesse algum 'stress' não era por olhar para a câmara que eu ficava descansada...tinha mesmo de lá ir :) Comprei da marca Fisher-Price e gostei. Usei até por volta dos 18 meses... estava sempre com medo de deixar de usar e não ouvir qualquer coisa durante a noite... Mas ouço tudo na mesma. Descobri que depois que somos mães o nosso sono nunca mais é igual :)
- Luz de presença. Não usei. Ouvi várias histórias de mamãs a desaconselhar porque usaram para conseguir 'espreitar' o bebé mais facilmente durante a noite, mas depois os piolhos deixaram de conseguir dormir no escuro, queriam sempre luz e ganharam medo do escuro. Eu optei por não usar e hoje em dia, já com 2 anos e meio, o Henrique dorme bem com as luzes apagadas e não tem medo do escuro (pelo menos até agora...).


Fonte da imagem: www.gestacaobebe.com.br

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

Série ENXOVAL DO BEBÉ | Parte 2 | Banho e Higiene

Aprendendo a ser mamã banho higiene do bebé


Olá Mamãs!

Hoje partilho convosco a lista de essenciais para o banho e higiene do bebé e deixo-vos mais algumas dicas.

Espero que vos seja útil.

Podem consultar a Parte 1 da série, sobre as roupinhas do bebé, AQUI!


BANHO E HIGIENE

- Banheira. Eu tive uma daquelas que fecha a tampa e transforma-se em trocador. Não gostei. Nada prática a história de ter de trazer a água e encher, e depois vazar... Experimentei comprar uma banheira insuflável (tipo boia, de encher mesmo) e foi o melhor que fiz. Muito prática e macia, não magoava o bebé, mesmo quando já tinha 6, 7, 8 meses e já dava pontapés na água e se sentava a brincar era o ideal mesmo. E nessa fase comecei a colocá-la dentro da nossa banheira grande para o pequeno espalhar água à vontade :)

- 3-4 toalhas de banho para bebé com capucho
- Champôs, cremes, gel de banho, amaciador. Usei da gama Uriage e Avéne, 100% satisfeita.
- Esponja de banho natural. Aconselho porque é muito macia e não magoa a pele sensível do recém-nascido. Há na Wells.
- Tesoura de pontas redondas. Experimentei o corta-unhas, mas deu-me medo... ainda hoje uso a tesourinha.
- Pente de cabelo macio
- Compressas e álcool 70º. Para cuidar do cordão umbilical até cair e sarar, aqui em casa demorou 8 dias a cair.
- Soro fisiológico
- Aspirador nasal. É bastante útil! Usei um que odiei porque era tipo uma bomba que se apertava para fazer a sucção da ranhoca, e não funcionava. Comprei logo depois outro, que aconselho bastante da Rinomer Soft Narhinel, há na Wells e nas farmácias.
- Fraldas. Usei descartáveis. Vale a pena ter em stock um pacote para tamanho recém-nascido (2-5kg) e um pacote tamanho 2 (3-6kg). Depois do bebé nascer, comprar então mais do tamanho certo.
- Toalhitas. Durante o 1º mês e, sempre que o bebé estava muito assado, usava para limpar o rabiosque apenas compressas de algodão, água tépida e água de rosas. Fora isso, usei toalhitas.
- Pó de talco. Há quem seja contra, e é preciso ter-se cuidado ao aplicar para evitar criar 'uma nuvem de pó' inalada pelo bebé. Comigo resultou às mil maravilhas. Como absorve a humidade, desde que comecei a usar, as assaduras eram muito menos frequentes e passavam muito mais depressa do que quando 'enchia' o rabinho de Halibut. Funcionou com o rabiosque do meu pequeno, mas cada rabiosque é diferente... :)
- Pomada para assaduras. Usei Bepantene, Halibut e quando a coisa estava mais feia Cicalfate da Avéne.
- Cotonetes para Bebé
- Termómetro de banho. Para mim foi importante ao início para não 'escaldar o pequeno', mas depois já tinha percepção de quando a água estava boa sem recurso ao termómetro.
- Termómetro para febre. Usei o tradicional, de colocar por baixo do bracinho, mas em alturas em que o bebé está a dormir, ou está a chorar, e ainda temos de o despir para tirar a febre, não é nada prático. Por isso, comprei depois um daqueles que tiram a febre na testa e no ouvido e foi o melhor que fiz. O pequeno pode estar a dormir e eu tiro-lhe a febre e ele nem acorda!.
Dedeira de silicone. Não é necessário comprar logo, mas acho que é útil. Usei da Chicco a partir da altura em que os primeiros dentinhos começaram a causar desconforto e a inchar as gengivas, para massajar e "aliviar" um bocadinho (o primeiro dentinho do meu pequeno só apareceu aos 8 meses...).
- Chupeta e prendedor de chupeta. Eu usei. Mas há quem não seja a favor para não interferir com a amamentação, pelo menos até o bebé aprender a fazer bem a pega ao mamilo. Fica ao critério de cada mamã, como aliás tudo o resto :)

Uma Dica: usei chupeta da marca AVENT, por uma razão: nas aulas de preparação para o parto, numa das sessões sobre dentição do bebé, a Pediatra recomendou que, a optar-se pelo uso de chupeta, se desse preferência a chupetas que tivessem forma simétrica, ou seja, que não tivessem "lado de cima e lado de baixo", porque isso pode interferir na formação da arcada dos dentinhos... Mas, lá está, cada mamã, verá o que funciona melhor para o seu bebé.



Fonte da imagem: http://babyfofi.webnode.pt/

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Nova parceria do blogue! Bem-vindas ao mundo do 3D, com a 3D Team, mamãs!

3D Team Aprendendo a ser mamã
Não, a impressão em 3D não é ficção, mamãs!

Eu sei, às vezes, temos a sensação de que o mundo evolui tão depressa que se torna difícil acompanhá-lo... Mas a verdade é que, além dos tradicionais textos e imagens, hoje é também possível imprimir objectos físicos, 100% reais, numa impressora :)

Quando soube que existia esta nova tecnologia, confesso que fiquei meio sem perceber, mas depois de procurar um bocadinho sobre o assunto, achei FASCINANTE!!

Pode fazer-se TUDO! Sapatos, roupas, próteses, capas para telemóvel, porta-chaves, canecas, instrumentos musicais, comida e chocolates (sim, leram bem!!), maquetes, tecido celular e órgãos humanos, armas... UM MUNDO! Desde que se tenha uma ideia, e se desenhe essa ideia... PUFF! Magia! É só mandar imprimir :)

Convém dizer que uma impressora 3D é ligeiramente diferente daquelas que temos em casa para imprimir em papel :) A impressora 3D usa vários materiais (plástico, titânio, vidro, cobre, ouro, gesso...) e vai efectivamente imprimir, camada a camada, tudo aquilo que conseguirmos criar digitalmente!

E porque achei fascinante este novo mundo do 3D, tenho uma novidade para vocês: a 3D Team é, a partir de hoje, um parceiro do Aprendendo a ser Mamã!!

Quem é a 3D Team
É uma empresa 100% dedicada à impressão de objectos em 3D e a tornar reais quaisquer ideias que tenhamos a 'martelar' na cabeça :) 
Aliás, o slogan da 3D Team é mesmo: «Imprima tudo o que conseguir imaginar. A sua imaginação é o único limite!»

Se quiserem conhecer mais sobre a 3D Team, basta consultarem a página de Facebook da empresa AQUI! e percorrerem a galeria de imagens. 
Ou, se preferirem, podem entrar directamente no site da 3D Team AQUI!
Para esclarecer quaisquer dúvidas ou solicitar orçamentos, podem também enviar um email para: info@3dteam.pt

Para terem uma ideia do tipo de trabalhos que se podem fazer com a 3D Team, deixo-vos abaixo algumas imagens com ideias Liiiiiindas!! :)


3D Team Aprendendo a ser mamã

3D Team Aprendendo a ser mamã
3D Team Aprendendo a ser mamã


Série ENXOVAL DO BEBÉ | Parte 1 | Roupinhas

ENXOVAL DO BEBÉ, Roupas do bebé


Olá Mamãs!

Recebi, nas últimas semanas, vários emails com dúvidas de mamãs sobre o que comprar para o enxoval do bebé. Para tentar ajudar resolvi escrever a série ENXOVAL DO BEBÉ, e partilhar convosco algumas dicas e listas do que funcionou para mim e do que eu optei por comprar na altura em que estava a preparar o enxoval do meu pequeno.

É mesmo uma fase confusa... por um lado queremos comprar todas as coisinhas fofas que vemos nas lojas, mas, por outro, ficamos na dúvida se será mesmo necessário, se o bebé irá usar, se será útil para nós... Verdade?

Lembro-me tão bem de andar completamente à nora... e queria tudo :) Mas é mesmo preciso ter atenção para não comprarmos coisas desnecessárias... E eu cá acho que as mamãs de primeira viagem, como eu :) têm a tendência de se entusiasmar demais na altura das comprinhas, comprando mais do que o que seria realmente preciso...

Vale a pena dizer que cabe aos papás e mamãs decidir quais as coisas essenciais e de compra obrigatória e quais as dispensáveis. E há imensas coisas que se podem comprar em segunda mão, ou utilizar de amigos.

E não esquecer também que o que foi óptimo e funcionou super bem com a vizinha, pode não funcionar connosco. Por isso, aconselho a comprar as coisas que sabemos de antemão que irão ser essenciais, porque, tudo o resto, dá para ir vendo e comprando à medida que fizerem sentido para nós.

Para ajudar um bocadinho as mamãs mais à nora, deixo-vos algumas listagens e dicas de coisas que eu gostava de ter sabido há 2 anos atrás :)


ROUPINHAS

- 6-8 babygrows de algodão.
- 6-8 conjuntos interiores de algodão (camisola e calça).

Em relação a estes dois itens, aconselho a não comprar muitos em tamanhos muito pequeninhos antes do beber nascer. Mas depois de sabermos o tamanho do piolho, a dica que dou é ter uns 15 babygrows e umas 10 calcinhas de algodão (isto se não se quiser estar todos os dias a lavar a roupinha e pôr a secar...se for inverno então é um drama!! Passei por isso...). Há sempre um xixi ou um cocó que suja a roupinha TODA, VÁRIAS VEZES por dia :)
Outra dica: eu não gostei daquelas roupinhas (babygrows ou body) com os botões nas costas do bebé porque o pequeno ficava deitado em cima deles e não me pareceu nada bem. O estilo que gostei mais foi com botões entre as perninhas ou na zona do pescoço. 

- 2-3 casaquinhos.
- 6-8 pares de meias de algodão (e 2-3 de lã, de acordo com a estação do ano).
- 1 par de sapatinhos para sair (não é um item essencial ao início, é mais por acharmos giro. Desde que o pézinho esteja quentinho com meia ou botinha de lã, não precisa de sapatinho. O meu piolho calçou os primeiros sapatinhos por volta dos 4 meses porque já se punha em pé e achei que era boa ideia...).
- 1 chapéu ou 1 gorro para sair (de acordo com a estação do ano)
- 1 mantinha para sair (dá sempre jeito, porque há dias mais frescos ou com vento, e assim o piolho vai agasalhado).
- 6-8 babetes (dão imenso jeito, de preferência impermeáveis, na altura dos dentinhos a romper, porque eles começam a babar-se imenso!)
- 12 fraldas de pano (eu cheguei a ter umas 20 fraldas de pano, dão imenso jeito a amamentar, quando o bebé bolsa. E há bebés que gostam de adormecer com uma fralda, porque "cheira à mamã".)
- 2 ninhos (aconselho, principalmente se o bebé nascer em tempo mais frio porque, a partir de certa altura começam a mexer bastante e destapam-se. Com o ninho isso já não acontece e ficam sempre quentinho debaixo das mantinhas).


Listei o essencial para o dia-a-dia do bebé. Obviamente, podem comprar-se milhentas outras roupinhas, sapatinhos e acessórios giros para sair e passear com o bebé...


ALGUMAS DICAS...

1) Não vale a pena ter muitas roupinhas em tamanho recém-nascido e 1-3 meses. Primeiro porque se o bebé for grande, as de recém-nascido não vai chegar a vestir. E eles crescem mesmo MUITO depressa! Depois do pequenote nascer, já vai dar para perceber melhor em que tamanhos devemos investir e aí sim, comprar mais roupinhas.
2) Não vale a pena criar um enxoval com roupinhas além dos 6 meses. É melhor ir vendo, depois do bebé nascer, o ritmo de crescimento dele e quais as peças que usa mais, e aí sim, fazer uma compra mais adequada ao seu estilo e gosto.
3) Comprar as roupinhas depois de saber se é menino ou menino ajuda bastante na escolha e facilita quando quisermos criar conjuntinhos para o enxoval.
4) As roupinhas interiores devem ser todas de algodão (a pele do bebé é muito sensível mesmo...)
5) As roupas do bebé devem lavar-se separadamente (à mão ou na máquina, eu sempre lavei na máquina) com detergente especial para bebés (eu usei o Skip Baby até aos 12 meses). Se se quiser usar amaciador (há quem prefira não usar), convém optar por um adequado a bebés e peles sensíveis, eu usei o Confort Pure, que é hipoalergénico, e desde o nascimento do Henrique continuei a usar o mesmo porque adoro o cheirinho.


Fonte da imagem: www.bebeatual.com

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Os primeiros passos do bebé | Que cuidados ter?

Aprendendo a ser Mamã | Primeiros passos do bebé

Olá mamãs!

Hoje recebi um email de uma mamã muito aflita porque queria saber quais os cuidados a ter agora que a sua pequenina começou a dar os primeiros passinhos.
Lembro-me tão bem dessa fase... Uma alegria enooorme acompanhada por mil e um medos que nem sabíamos que tínhamos... Entramos no modo 'antecipar': o que poderá acontecer, onde poderá cair, onde será mais provável magoar-se...

Os pequenos, mal percebem as potencialidades do 'dar corda às perninhas', nunca mais páram quietos! E querem andar mesmo mais depressa do que as pernas! O que, invariavelmente, termina com umas quedas, mais ou menos aparatosas, e algumas (MUITAS) cabeçadas!

Cá em casa, ao início, protegi uma área enooorme da sala... metade da sala era um parque de diversões :) 
O chão estava todo fofinho (coloquei tapetes de yoga por baixo dos tapetes de sala), coloquei em todas as arestas (de mesas, cadeiras e afins) protecções de borracha que comprei no IKEA, e posicionei almofadas em todos os cantos, junto às esquinas das paredes, para amparar eventuais quedas. E deixava o piolho a andar por ali, todo feliz e contente, com brinquedos, peluches e bolinhas.

Claro que, no único centímetro em que não havia protecção nenhuma, era exactamente onde ele ia cair e magoar-se!! 
É a Lei de Murphy ao mais alto nível! Implacável, mesmo!
E, digo-vos, desde essa altura até aos dias de hoje, a questão mantém-se a mesma: posso proteger, antecipar, planear e julgar que: "Ok, desta vez, não há forma de correr mal", mas há SEMPRE uma forma de acontecer uma coisinha que não conseguimos prever. SEMPRE! 

Obviamente, não estou a dizer que não devemos ter cuidados. Devemos, pois. Faz parte do "ser mamã" e do instinto de proteger os nossos filhotes. Mas, o que aprendi, foi que não somos más mães, nem menos mães, porque o nosso piolho, tem um galo enorme no meio da testa! Na altura em que acontece, culpamo-nos e temos certeza de que TODA A GENTE que olha para nós, com o bebé ao colo e vê o aparatoso galo no meio da testa, está a pensar: "aposto que a mãe não estava a ter atenção!" 

Querem saber a verdade? Sim, vai haver quem pense isso. Mas, provavelmente, será alguém que ainda não tem filhos, ou, se os tem, ainda não entrou na fase dos 'primeiros passinhos' e 'primeiras corridas' e 'primeiras subidas para cima de sofás e cadeiras e...'

E a verdade é que irão também haver muitas mamãs que irão olhar para o tão enorme galo na testa do nosso bebé, irão chegar-se ao pé de nós, e dizer: "Lembro-me tão bem dos sustos que apanhei nessa fase. Por mais que fizesse, o meu traquinas arranjava sempre forma de se magoar. Mas é só uma fase, e passa".

As crias são assim mesmo :) Fazer dói-dóis faz parte do 'aprender limites', do 'aprender o certo e o errado'.
Mas, como em todas as outras fases porque já passamos (as cólicas, as febres dos primeiros dentinhos, as primeiras viroses na creche...), também nesta fase vamos ser as melhores mamãs do mundo para os nossos piolhos. E, quando dermos conta, já mudámos de fase outra vez :)  

Para as mamãs que estão a entrar agora nos 'primeiros passinhos', deixo umas dicas:
1) Proteger esquinas de mesas (básico, mas cá em casa não evitou cabeçadas porque o piolho arrancava as protecções com os dentes...);
2) Ter atenção aos brinquedos espalhados junto ao bebé, porque ele pode escorregar neles ou cair em cima de algum e PUMBA: galo, lábio traçado... (esta é quase impossível de 'controlar', e aconteceu algumas vezes cá em casa também);
3) Evitar deixar junto ao bebé coisas que ele possa usar para empilhar (almofadas, ursos grandes...) e subir (aos 7 meses, o reguila cá de casa já subia para cima do sofá, da mesinha da sala... muitos sustos apanhei eu...e cada vez apanho mais, porque agora com 2 anos, já o apanhei em cima da bancada da cozinha!);
4) Proteger tomadas (eles têm uma adoração por tomadas, não percebo...);
5) Repetir muitas vezes para os pimpolhos: "cuidado, assim faz dói-dói", porque, às tantas, eles percebem, garanto-vos!
6) E, principalmente, ter muita PACIÊNCIA! 

É uma fase linda, mamãs, e passa tão depressa... Ainda há uns meses estavam dentro da nossa barriga, agora, já querem andar... 
Umas cabeçadas não são nada, se pensarmos que, a partir de agora, as possibilidades de acontecer um 'dói-dói' vão crescer e agravar-se exponencialmente! 
O que é uma cabeçada na esquina da mesinha da sala, quando o piolho pode decidir saltar de cima do sofá e... partir um braço?! Não vos quero assustar, até porque aqui por casa ainda não aconteceu nada disso (só esteve perto, umas 550 vezes...). Quero apenas tentar mostrar que, por mais que os queiramos proteger, e evitar ou antecipar 'dói-dóis', a vida acontece... Lei de Murphy ;)
Por isso, em vez de estar ansiosa e em pânico, decidi tentar (disse, TENTAR), não andar sempre feita mamã-paranóica atrás do pequeno a 'controlar' e 'segurar'. 

Há dias sem galos e dias com galos. E é mesmo assim.

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Mãe não dorme | Sou uma mamã-zombie :)

mãe não dorme, bebé noites em claro, birra, cólica
De tudo o que muda quando somos mães, dormir uma noite descansada é, sem dúvida, uma daquelas coisas que passa a ser uma miragem. 

Quase toda a gente nos diz que, quando o bebé nasce, temos de aproveitar para dormir quando ele dorme, porque vamos precisar desses bocadinhos todos para recuperar forças. E é verdade, vamos mesmo precisar. Mas daí a conseguirmos, vai uma graaande distância... Há sempre tanta coisa para fazer 'nesses bocadinhos'...

Eu sempre fui uma dorminhoca. Mas, desde a gravidez, tive de me "habituar" a dormir menos... Não foi fácil. Ainda há dias em que ando feita zombie e, só não caio para o lado, porque com alguns (às vezes muitos...) cafés, a coisa lá se aguenta. Há dias meeeesmo difíceis... mas ser mãe é mesmo assim, não é? ;)

Na gravidez, começam as noites mal dormidas: ou porque os pequenos decidem praticar karaté pela madrugada adentro :) ou porque há uma mega barriga "por todo o lado", ou porque não temos posição, ou porque nos dói tudo :)

Quando o bebé nasce, a coisa 'piora': primeiro, é toda a novidade de olharmos para ele (tão fofo a dormir), toda a "logística" de dar as mamocas e o leitinho, e o pânico de acontecer alguma coisa (lembro-me de ir milhentas vezes confirmar se o pequeno estava a respirar...). Depois vem a fase das cólicas (que cá em casa durou até aos 4 meses).

Depois há noites de birra, só porque sim. Há noites em que eles perdem a chupeta 50 vezes. Há noites em que estão doentes. Há noites com pesadelos e com o querer miminhos extra na cama da mamã (esta parte eu confesso que adoro, dormir abraçado ao meu pequeno é das melhores coisas do mundo). Noites em que não há sono e se faz birra porque se quer brincar aos Legos às 4h da manhã.

Depois entramos na fase do desfralde nocturno ou na fase de mudar do berço para uma "cama de crescidos", o que cá em casa significa: acordar de vez em quando para fazer um xixi a meio da noite, ou acordar para, sorrateiramente, alguém se esgueirar para a cama dos papás (completamente às escuras, o piolho chega ao nosso quarto, "enfia-se" entre mim e o pai e ferra-se a dormir).

E, por enquanto, cá por casa, eu vou passando por estas fases...
Mas tenho a certeza que o meu sono de mãe, nunca será um sono tão descansado como aquele de antes de ter um pequenote reguila. 

Acordo com sono há mais de 2 anos. Mas, querem saber a verdade?
Não me importo. Nada mesmo. Dois cafés às 7h da manhã e um abraço do meu pequeno e estou pronta para mais uma dia em modo mamã-zombie! :)

Fonte da imagem: www.ilafox.com

sábado, 19 de setembro de 2015

Melhores brinquedos para o bebé... Ou então não...

Melhores brinquedos para o bebé

Perdi a conta a quantas vezes isto aconteceu (e acontece) cá por casa...

Procuro quais os melhores brinquedos e actividades para cada idade e fase do meu pequeno, compro, organizo tudo, fico toda entusiasmada para ver a cara dele ao desembrulhar o presente. E... ele diverte-se a brincar... com a caixa!!! :)

Nem sempre é assim, claro. E com a idade, vai acontecendo muito menos vezes :)
Mas, hoje, deparei-me com esta imagem e não pude deixar de me rir sozinha :) E de me lembrar como é verdade...
Compramos um brinquedo todo XPTO da Fisher Price, orgulhosas por irmos dar uma coisa toda gira ao nosso bebé, e o que lhe desperta a atenção é... o comando da televisão!! :)

Vá lá entender-se :)
E com vocês, mamãs, também acontece o mesmo?


Fonte da imagem: https://www.facebook.com/motherhoodcomics
Legendas adaptadas para português pelo Aprendendo a ser Mamã

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Saber o que é realmente importante | Uma mamã feliz

Saborear cada momento da vida dos nossos bebés
Li, há alguns anos, pela primeira vez, o texto que hoje partilho convosco.
Na altura, lembro-me de pensar que, de forma simples e com poucas palavras, se chamava à atenção para a necessidade de não nos deixarmos levar pela correria do dia-a-dia e de sabermos gerir o nosso tempo em função do que é realmente necessário, importante, e do que nos traz verdadeiramente felicidade.
Hoje, sem estar à espera, deparei-me com esse texto outra vez.
Reli-o... e acho que, só agora, o percebo efectivamente...
Não que a minha interpretação, há uns anos, estivesse incorrecta (creio que captei a ideia geral da coisa :) ), mas sinto que, só hoje, só agora, que sou mãe, que tenho uma família, que tenho uma pessoa pequenina que amo mais do que tudo no mundo a precisar de mim, do meu amor, consigo definir e perceber o que é verdadeiramente importante para mim e o que me faz feliz.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Ideias giras para fotografar o 1º ano do bebé!

Porque depois de sermos mães o tempo parece que passa a voar e, mal damos conta, os piolhos já começam a andar e a falar e parecem cada vez mais crescidos, aprendi que temos que guardar o máximo de memórias possível do tempo em que eles são MESMO bebés!
Temos que brincar muito, rir muito, estrafegá-los MUITO! E roubar muitos, muitos, muitos beijinhos! ;)
Eles vão ser nossos para sempre, mas vão ser bebés durante muito menos tempo do que aquilo que estávamos à espera... acreditem.
Por isso, e também porque é mega giro (!), deixo-vos algumas ideias super fofas para fotografarem os vossos bebés e guardarem para sempre momentos únicos do crescimento dos vossos tesourinhos ;)
1. Um body por mês
1º ano do bebé
Fonte: www.cardstore.com/blog/babys-first-year
2. Da barriga para o colo da mamã. 
A minha preferida!!! :)
1º ano do bebé
Fonte: www.cardstore.com/blog/babys-first-year
3. O Cesto da roupa 
No mínimo, original :)
1º ano do bebé
Fonte: www.cardstore.com/blog/babys-first-year/
4. Ao lado do bonequinho preferido :)
Ideias giras para fotografar o 1º ano do bebé
Fonte: kristenhoneycutt.com
5. Sentado na cadeirinha
Ideias giras para fotografar o 1º ano do bebé
Fonte: www.storkiscoming.com
6. Mês a mês com as metas de crescimento detalhadas
Fotografar o 1º ano do bebé ideias

Fonte: pinterest.com

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

A Mamã é uma baleia! | A imaginação das crianças...

Bebé aprendendo a falar e imaginar
Dá para acreditar que o meu piolho de palmo e meio disse isto?!
“A Mamã é uma baleia”.
Aposto que esta frase não integra o TOP 10 das frases que as mamãs anseiam ouvir…
E vale a pena dizer que o meu marido (que ia no carro comigo e com a cria na altura do “incidente”, chamemos-lhe assim) se desmanchou a rir. Cá para mim, riu-se um bocadinho a mais da conta, mas ok… ;)
Em defesa do meu piolho, tenho que contextualizar a ‘coisa’…